# Coração Comestível: 2011

kkk

domingo, 21 de agosto de 2011

Como esquecer um grande amor ?

Como esquecer um grande amor?
É fácil, vou lhe ensinar:
Não é preciso sofrer,
Nem é preciso chorar...
O amor é corpo sem rosto,
Que você mascara a seu gosto,
Põe o nome que quiser...
Troque o rosto; troque o nome,
- Está pronta outra paixão -
Motivo de um novo alento,
De nova esperança, ilusão;
Mas, finalmente, descubra,
Que o novo amor conquistado,
Tem a mesma malícia e ciúme,
Tem o mesmo gosto e perfume,
Do outro amor do passado.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Sentimento do mundo, por Carlos Drummond de Andrade.

Tenho apenas duas mãos
e o sentimento do mundo,
mas estou cheio escravos,
minhas lembranças escorrem
e o corpo transige
na confluência do amor.

Quando me levantar, o céu
estará morto e saqueado,
eu mesmo estarei morto,
morto meu desejo, morto
o pântano sem acordes.

Os camaradas não disseram
que havia uma guerra
e era necessário
trazer fogo e alimento.
Sinto-me disperso,
anterior a fronteiras,
humildemente vos peço
que me perdoeis.

Quando os corpos passarem,
eu ficarei sozinho
desfiando a recordação
do sineiro, da viúva e do microcopista
que habitavam a barraca
e não foram encontrados
ao amanhecer

esse amanhecer
mais noite que a noite.

domingo, 14 de agosto de 2011

Por onde andam meus verdadeiros sentimentos?


Tenho a nítida sensação de que não caibo mais em mim.
Pode até tudo está caminhando bem.. Mas a mesma onda de felicidade que se cria aqui dentro, em segundos se dissipa e transforma tudo em lágrimas, tristezas que não sei como e nem de onde vem.

Fantasmas criados por mim puxam meus pés enquanto durmo, sentimentos que parecem não ser meus.
Sensação de vazio tamanha.
O que fazer quando não se pode fugir de si mesma? '-'

Alguma coisa além .

Descobri que sou muito mais complexa do que eu imaginava.
Tem que ser tudo com calma, vagarosamente, nada de força.. com carinho, amor, o cheiro, o toque.. e  o mais importante, sem desentendimentos antecipando.
Sem essa de, eu sou isso, você aquilo, senão fico mais travada que fechadura enferrujada. Entenda, nós, mulheres, podemos ser tudo ao mesmo tempo.
Preciso me sentir segura, amada, confiante.
Não basta eu apenas querer, me concentrar, acreditar.

É uma mistura que ainda não descobri a fórmula.
Percepções, sensações que vão muito além de mim.
...
Não sei se um dia descobrirei tantas coisas que eu gostaria. Me conhecer o suficiente para ser e fazer alguém feliz...
Mas não tem importância, CONTINUAREI TENTANDO. :]

terça-feira, 26 de julho de 2011

Reminiscências batem à porta, ou melhor, ao meu coração.

Nestes últimos dias, tudo o que faço me lembra você.
Aliás, desde o dia que você se foi.
Queria não mais pensar. Queria não mais sofrer.
Sofrer com a sua ausência, com as lembranças e marcas que deixou em mim.
Se tento ver televisão pra me distrair e passa alguém dançando, lembro-me de você dançando pra mim.. tão doce e ao mesmo tempo tão sedutora.
Se vejo algum casal, lembro-me da gente, do seu beijo, seus carinhos.
Então desisto e ligo o rádio, ao menos ao ouví-lo pensei que não lembraria de ti. Ilusão a minha. Ao ligar, a primeira música que ouço tocar é a nossa.
Ontem comprei um bombom de chocalate, o seu preferido.. Comi saboreando cada pedacinho tentando aplacar  um pouco desse sentimento que a cada dia em vez de diminuir, só faz aumenta.
Seu jeito de brigar comigo, da sua implicância pela minha mania de chorar por tudo. Já não consigo ver graça em mais ninguém.
Enfim,
Ontem, antes de dormir, fechei os olhos e por um momento pude sentir o teu cheiro exalado no ar, a tua presença perto de mim, a tua voz falando baixinho ao meu ouvido que me amava.
Tudo parecia tão real. Tive a nítida sensação que você tinha voltado. Voltado pra mim.
Abri os olhos e com meu coração aos pulos olhei para o lado.
Percebi que não era você. Era apenas a saudade e as lembranças dos nossos momentos.
Momentos esses, que nunca mais irão voltar.



17.07.2011

Regresso .

Como eu queria poder voltar no tempo.
Voltar ao dia que nos beijamos pela primeira vez. Ao meu jeito desajeitado de te tocar, sem saber o quê e como fazer. Da tua forma de se entregar, com tamanha intensidade que me fez esquecer medos, vergonhas, e tudo o que me prendia a realidade.
Viajei completamente em teu mundo, teus braços, teu corpo, teus cabelos...
E descobri que sim, se pode ser feliz com outra pessoa. Mesmo que essa felicidade dure apenas para ser guardada na linda caixinha de lembranças que criei em meu coração.
Hoje, vendo você tão distante, um tanto fria, fora do meu alcance.. sinto falta da tua atenção. Relembro nosso momentos, revivo tudo outra vez.. mas é como se faltasse um pedaço, um vazio, a  peça do quebra-cabeça que não consigo encaixar.
Devia sim, ter te dado mais atenção (ou talvez eu tenha te dado o meu melhor), mas se eu pudesse regressar no tempo, nem que seja por um dia, gostaria tanto de não ter perdido um só momento ao seu lado dormindo, ou com coisas fúteis.
E só me importaria em fazer uma coisa: Te amar. E nada mais.

10.07.11

sábado, 28 de maio de 2011

Deixe-me sonhar,

viver o meu mundo.
Vê as coisas à meu modo. Como meu coração pede.
Tudo faz mais sentido.
É mais gostoso poder sentir as coisas de várias maneiras dentro de mim.
A realidade é tão limitada. Sem graça.
É aquela coisa de é isso ou aquilo.
Não.
Prefiro as várias possibilidades.

Sinto sua falta..

Estaria mentindo se dissesse que não sinto.
As noites não possuem a mesma graça, nem fazem tanto sentido.
Por mais que nos momentos que tive você, eu, de certa forma não soube aproveitar, deixei passar oportunidades, tempo..
aah, sou tão distraída.. A maioria das vezes só percebo meus erros, tropeços quando já é tarde e não se há nada a fazer. Quando é inútil tentar voltar ao passado e fazer tudo diferente.
Como eu queria, não ter deixado transparecer as minhas fraquezas, medos, indecisões, meu lado frágil diante de você.
Logo você, tão decidida, direta, realista.. E como mesmo disse um dia: "Gosto de pessoas determinadas."
Determinação. Bem.. O que seria isso? '-'
Enfim.
Sempre fomos diferentes. Você a terra, eu a água, opostas, totalmente.. complicadas.
Aí se aplica a tal teoria: "Os opostos se atraem".. É, pode até se atraírem, mas não se mantém. :'(

Saudades das noites maldormidas. As vezes que dormi sentada na aula por passar horas e horas da madrugada conversando contigo. Saudades das suas broncas por achar besteira tudo o que falo. Você dançando pra mim.. dos carinhos, brincadeiras. De tudo o que vivemos.
Não sei se um dia as coisas vão voltar a serem como antes. Provavelmente não volte, como a maioria das coisas na vida.
Mas, enquanto você não volta, continuarei dormindo com  a nossa foto, lembrando do cheiro do sabonete em teu corpo, te desejando boa noite, até que você retorne e torne minha vida mais alegre.
Se isso não acontecer, ficarei feliz por tudo o que vivi contigo. Por ter passado uma pessoa tão maravilhosa e única como você na minha vida, e desejando que onde e com quem você estiver, que esteja bem.

sábado, 23 de abril de 2011

Incertezas.

Sabe aqueles momentos que você necessita de respostas para tudo.. de certezas que por mais que se pense, avalie, reflita nunca se chega à uma coisa certa, e acaba por bagunçar ainda mais a mente de quem já não tem controle sobre nada..
Pois é.. estou diante dessa situação e não sei o que fazer.. pra variar. --'
Não sei se o que sinto é fonte da minha fértil imaginação, do meu poder de sair desse mundo para um outro bem mais bonito, mais meu.. ou se realmente sinto, quero, desejo, na vida real como toda a minha intensidade pisciana.
Dúvidas, dúvidas e mais milhões de dúvidas.. Achei realmente que tinha chegado à uma conclusão, algo maior que eu.. mas, não posso ignorar o fato de que não sei qual sabor escolher.

Quem sabe um dia, assim do nada, essa resposta que tanto, tanto procuro, toque meu coração e me faça realmente começar a viver a vida intensamente como ela merece.

sábado, 2 de abril de 2011

Sem mais adeus.


Vim, cheio de saudade
Cheio de coisas lindas pra dizer
Vim porque sentia
Que nada existia fora de você
Nem a poesia, amor
Na sua ausência quis me receber
Vim banhado em pranto
Eu te amo tanto
Vem, vem aos braços meus
Sem mais adeus
Oh, vem

(Vinícius de Moraes)

domingo, 30 de janeiro de 2011

Cada coisa a seu tempo tem seu tempo



“Acendo a lâmpada às seis horas da tarde
Acenda a luz dos lampiões
Inflame a chama dos salões
Fogos de línguas de dragões
Vagalumes
Numa nuvem de poeira de neon
Tudo claro
Tudo claro à noite, assim que é bom
A luz
Acesa na janela lá de casa
O fogo
O foco lá no beco e um farol
Essa noite
Essa noite vai ter sol
Essa noite
Essa noite vai ter sol”
Sábias palavras... Eu sei muito bem como é o sol da noite.
A noite tem sol quando a gente se sente iluminada, quando ouve coisas ao pé do ouvido que nos fazem, flutuar, que somos únicas, especiais, gostosas, que sentem saudades, que nos querem pra sempre, que nos amam demais…
A noite tem sol quando nos procuram com urgência, nos pegam com força, nos mostram tudo num gesto, nos olham nos olhos e, sem dizer uma só palavra, falam tudo o que queremos ouvir…
A noite tem sol quando a companhia também brilha ao seu lado e te faz experimentar sensações que antes pensavas ter esquecido. Que desperta dentro de você uma força, um não sei o quê, que vem não sei de onde e nos faz sentir uma coisa…
Eu estou com saudades dessas noites de sol.
Por Fernanda Berkanna - PL